EFT Tapping

Há quem diga que é uma psicoterapia. Há quem diga que é apenas um conjunto de técnicas. Que está ligada à pseudociência... Há quem considere que é acupuntura sem agulhas. É conhecida pelo acrónimo EFT, que são iniciais de Emotional Freedom Techniques.

Não confundir, no entanto, com Emotionally Focused Therapy, também conhecida por EFT.

Batimentos com os dedos em alguns pontos 

Talvez, então, para não confundir, convém falar do EFT Tapping. Realmente aqui estamos a falar de uma abordagem que se serve de “pancadinhas” em determinadas regiões do corpo. Já vamos explicar em que é que consiste na prática…

De facto, o Tapping é uma metodologia que inclui pequenos batimentos com os dedos em alguns pontos do nosso corpo. Esses pontos serão meridianos, através dos quais, se batermos neles, se vão desbloquear determinadas energias. Portanto, acredita-se que as pancadinhas vão estimular todo o nosso sistema, aquele que envolve tanto o corpo como a mente.

Tudo advirá, pois, do conhecimento que algumas correntes da medicina tradicional chinesa terão sobre a energia do nosso corpo. O tapping EFT fala de oito/nove pontos, mas já os chineses falam de muitos mais, na ordem de muitas dezenas de pontos energéticos. E é aqui que entram as suas agulhas, é aqui que entra a acupuntura...

Acupuntura sem agulhas

Realmente, o EFT Tapping, de certa forma terá, pois, a ver com acupuntura. Mas aqui há uma grande vantagem, porque no EFT, de facto, não são necessárias agulhas. É, pois, como que uma acupuntura sem agulhas.

Só que possivelmente não é só isso que que está em causa. Não é só uma questão de estimulação desses pontos. De facto, ocorrerá aquilo que acontece noutras psicoterapias. Ou seja, haverá recognições, restruturações cognitivas, ressignificações, reprocessamentos, o que se lhe quiser chamar.

Na verdade, a pessoa, realmente, muda e transforma-se para melhor, isto é, passa a ter uma vida mais adaptativa, mais prazerosa, mais serena.

Tratar os sintomas abordando as suas causas

O EFT considera, pois, que todas as emoções negativas são sentidas através de uma interrupção da energia no nosso corpo. Considera até que a dor física e a doença estão, na verdade, ligadas a essas emoções negativas. Ou seja, os problemas emocionais não resolvidos vão manifestar-se através de sintomas físicos. E, portanto, a nossa saúde deve ser abordada como um todo, não deve ocupar-se apenas dos sintomas.

Realmente, isto não é novo. Há muitas abordagens psicoterapêuticas que também o advogam. Ou seja, consideram que não podemos tratar os sintomas sem abordarmos as suas causas, sendo que o contrário também é verdadeiro.

E também não é novo o EFT Tapping considerar que o nosso corpo, aliás como todo o cosmos, é composto de energia.

O fluxo da energia não pode estar interrompido

Assim, o nosso corpo, muitas vezes, está desequilibrado em termos de energia. Ou seja, a energia não flui como deveria fluir, de modo harmonioso. Portanto, há que restaurar o equilíbrio das energias no nosso corpo.

Há, pois, que fazer o restauro das nossas emoções negativas para que não causem sintomas físicos. Porque, de facto, se o fluxo da energia estiver interrompido é isso que acontece: o nosso corpo adoece, e traz-nos dores, mal-estar e tensões que não percebemos bem de onde vêm.

Ora, é então aqui que entra a originalidade do EFT Tapping. Essa originalidade tem a ver com simples pancadinhas feitas por nós mesmos. São, pois, essas batidinhas que vão restaurar o equilíbrio de energia do nosso corpo, que vão dirimir as tais nossas emoções negativas que nos estragam a nossa vida.

Mas é claro que não são apenas essas pancadinhas que devem acontecer. Há que fazer algo mais…

Basta usarmos os nossos dedos e...

E fazer mais, para além de estimularmos então os tais meridianos, vai ter que passar por nos concentramos na emoção negativa que quisermos trabalhar…. Podemos, pois, concentrarmo-nos numa ansiedade qualquer, num nosso medo particular. Podemos, pois, focarmo-nos numa memória qualquer do passado que nos perturbe ainda no presente, num problema qualquer que nos esteja a incomodar, que não esteja resolvido.

Temos, assim, que manter o nosso foco em determinada dificuldade nossa e então, depois disso, começarmos a usar os nossos dedos. E não há unanimidade quanto ao número de batimentos. Há quem fale em meia dúzia de vezes. Mas não parece que venha daí mal se o número de pancadinhas for o dobro, ou até mesmo o triplo.

Enfim, de facto, a pessoa saberá intuitivamente o que é que é melhor para si. O que será importante é que a pessoa bata nos tais meridianos através de, por exemplo, dois dedos. Mas também o pode fazer com quatro dedos, ou com toda a mão... Enfim, que bata e, ao mesmo tempo, se concentre na aceitação da tal emoção negativa.

Tapping tal como no EMDR...

Não há dúvida que o Tapping é muito mais fácil de aplicar que a acupuntura. Realmente, a acupuntura é complexa, há imensos pontos meridianos ao longo do corpo que se têm de memorizar, o que leva a muito tempo de formação, etc, etc...

Já o Tapping é muito fácil. Só há que memorizar oito/nove pontos. É, pois, muito fácil de aprender. Podemos aplicá-lo a nós mesmos, não dói, não magoa, é grátis, é rápido... E, enfim, diz a prática, funciona mesmo. E funciona para muitas problemáticas, incluindo traumas emocionais, tal como no EMDR...

Mas há diferenças... Por exemplo, enquanto que o EMDR foi criado, digamos assim, por uma psicóloga, Francine Shapiro, o mentor do EFT é Gary Craig que não é, sequer, psicólogo, nem tão pouco um psicoterapeuta credenciado... De facto, Gary Craig é alguém que vem das Engenharias, formado pela Universidade de Stanford, mas que, apesar de não seguir nenhuma religião em particular, refere que desenvolveu esta metodologia sob um ponto de vista mais espiritual.

EFT Tapping, uma ferramenta de cura fácil de usar

Gary Craig considera, pois, que o EFT é especialmente destinado para questões emocionais. Mas também refere que se destina a problemas de ordem mais física. E é, enfatiza este autor, destinado também para resolver essencialmente os problemas com carga negativa. E fá-lo, pois, aliviando essa  tal carga através da ativação de recursos, de energias interrompidas...

Fá-lo, assim, conseguindo levar a que as pessoas façam uma transformação das suas vidas, sempre num melhor sentido, numa direção mais adaptativa. E tudo se passará, à semelhança do que acontece com o EMDR, no cérebro da pessoa, no tal nosso cérebro emocional, digamos assim... Tudo se passará, de facto, sobretudo ao nível do sistema límbico…

O EFT Tapping básico é, pois, uma ferramenta de cura fácil de usar. É um meio de pormos em ordem as nossas emoções, através de simples rodadas de “estimulação EFT”....  E qualquer pessoa a pode usar esta ferramenta. É, de facto, muito fácil de aprender.  E pode ser aplicada, como já referimos, a vários tipos de problemas psicológicos, com ótimos resultados...

O EFT Tapping básico

Vejamos, então, em que é que consiste o EFT básico, digamos assim, na prática….

Façamos a analogia de um bolo, tal como o seu autor preconiza… Ou seja, para fazermos um bolo temos que ter vários ingredientes. E temos que os adicionar sob uma determinada ordem.

Neste caso, temos 8/9 pontos do nosso corpo a incluir. E temos que estar sintonizados no problema que queremos resolver...

Depois disso, é só começar, então, a estimulação. Não nos tais cerca de 300 pontos meridianos da acupuntura chinesa, com agulhas, mas nos tais oito/nove pontos do EFT Tapping.

É tudo feito, portanto, de uma forma muito mais simples...

Os oito/nove pontos EFT

Vamos então ver quais são esses 8 ou 9 pontos de tapping EFT…  O 1º é o chamado ponto de Karaté, localizado no centro da parte carnuda da parte externa das nossas mãos. Fica entre a parte superior do pulso e a base do dedo mindinho. Há quem o não conte, daí falarmos de oito ou nove pontos - na figura está assinalado com o algarismo zero.

Então, o 1º ponto, situa-se, mesmo, no alto da nossa cabeça. o 2º fica no início das nossas sobrancelhas, ao lado da parte de cima do nariz. O 3º fica do outro lado da sobrancelha, em cima do osso, no outro canto externo do olho.

O 4º ponto fica em baixo dos nossos olhos, mais ou menos um centímetro abaixo. O 5º situa-se debaixo do nosso nariz, acima do lábio superior. O 6º abaixo do lábio inferior e o início do nosso queixo. O 7º fica abaixo do nosso pescoço, no extremo da clavícula e da primeira costela. O 8º debaixo da nossa axila, na direção dos nossos mamilos.

Processo de fácil memorização

Para bater podemos usar qualquer mão, ainda que seja mais fácil usarmos, naturalmente, a nossa mão dominante. É um processo, na verdade, de muito fácil memorização. Primeiro só temos que identificar a situação que quisermos trabalhar.

Ou seja, só temos que visualizar mentalmente o que nos está a afetar negativamente. Convém que seja apenas uma temática. Um problema isolado. Não devemos, pois, tratar várias questões ao mesmo tempo.

Antes de mais, temos que classificar. Dar uma nota, de zero a 10. Temos, pois, que ver o nível de intensidade da questão a tratar. Isto para conseguirmos ver se fazemos melhorias.

"Apesar de..., eu aceito-me eu aceito-me profundamente e completamente"

E começamos o Tapping… primeiro criamos a nossa frase… na qual reconhecemos o nosso problema… Na qual nos aceitamos apesar do nosso problema… Uma frase deste género: “Mesmo tendo este problema de…, eu aceito-me profundamente e completamente". Esta frase pode, e deve, ter toda a adaptação que queiramos. Porque convém que nos soe bem, naturalmente.

Começamos então pelas pancadinhas no ponto de karate da nossa mão, depois seguimos pelo ponto no topo da cabeça, a seguir pelo início da sobrancelha, pelo outro lado do olho, debaixo do olho, debaixo do nariz, por cima do queixo, por baixo do pescoço, de baixo da axila e voltamos ao topo da nossa cabeça repetindo tudo em loop... E vamos sempre dizendo a tal frase chave em cada ponto das batidas… Repetindo tudo várias vezes...

E vamos continuando a classificar, de zero a 10, tal como acontece no EMDR… Para ver se há alguma evolução… E repetimos até que cheguemos ao zero, ou o mais próximo possível…

Marque uma intervenção psicológica na Psicovias

Portanto, trata-se de uma abordagem também focal, de base neuropsicológica, tal como o EMDR… Breve, simples, com alta taxa de eficácia… Marque uma consulta para saber mais…

 

× Marque consulta por WhatsApp aqui!