Hipnose Clínica

Hipnose clínica: uma terapia para mudar a sua vida

Você já terá ouvido falar de hipnose clínica ou, então, de hipnoterapia – talvez psicologia da hipnose não lhe diga tanto. Mas as designações talvez não importem muito assim… E também não importará muito a polémica sobre se a hipnoterapia é muito aproximada ao EMDR. O que realmente importará é o poder transformador que a hipnose pode ter na vida das pessoas.

A hipnose clínica, a hipnoterapia ou a psicologia da hipnose são, de facto, ferramentas que podem ser usadas para ajudar as pessoas a superar, por exemplo, traumas, medos, ansiedades, vícios ou adições. E essas técnicas já estão acessíveis em Portugal, nomeadamente, você poderá usufruir de uma hipnoterapia em Lisboa

Hipnose não é espetáculo

De facto, não é, ainda que seja usada para tal  – muitas vezes é a hipnoterapia regressiva que se apresenta de forma mais “espetacular”. Mas o que se pode vincar é que a hipnose de regressão, ou a hipnose em geral, é uma técnica, ou um conjunto de técnicas, que requer formação adequada e especializada.

E, tudo bem, poderemos dizer também que é uma arte. E que essa arte pode servir fins de divertimento e lazer. Mas, é preferível considerar que a hipnose, nomeadamengte a hipnose clínica, é muito mais do que isso: poderemos considerá-la uma poderosa ferramenta de cura!

Sim, a hipnose pode ser usada em seu benefício. Você poderá recorrer a um psicólogo ou a um psicoterapeuta. Saiba, então, que esse profissional poderá usar a hipnose. Você poderá, de facto, beneficiar da hipnose, porque esta pode ser usada em contexto psicoterapêutico, ou de ajuda psicológica.

Saiba que quem já a experimentou teve resultados surpreendentes, rápidos e duradouros para os seus problemas psicológicos.

A hipnose clínica pode ajudar a superar os seus desafios

Para muita gente a hipnose será, mais ou menos, ver alguém a dizer para outra: “Foque a sua atenção…, relaxe…durma!” Você, eventualmente, também poderá ter uma ideia dessas… Você, se calhar, já achou que a pessoa fica como que a dormir e a fazer tudo o que o hipnotizador lhe ordena. Será que até lhe pareceu magia, bruxedo, uma coisa assim desse género?… Ou será que lhe pareceu uma farsa, um embuste, uma charlatanice?…

Então, antes de mais: a hipnose não é um truque de festa ou uma forma de controle da mente, como alguns podem pensar. É uma prática séria e respeitada no campo da psicologia e da medicina. Quando administrada por um profissional treinado, pode ser, com efeito, uma forma muito eficaz de terapia.

Assim, independentemente do nome que lhe damos, o poder da hipnose reside na sua capacidade de facilitar a mudança e o crescimento pessoal. E isso é algo que vale a pena explorar, porque a hipnose clínica funciona através do acesso ao subconsciente do indivíduo, permitindo que ele encontre soluções para problemas que podem ser difíceis de resolver de outra forma.

Veja aqui alguns testemunhos de que já fez hipnoterapia.

A Ordem dos Psicólogos Portugueses reconhece o valor da hipnose

De facto, também para a OPP, ou seja para a Ordem dos Psicólogos Portugueses, “a Hipnose é uma das técnicas e ferramentas de intervenção das quais a Psicologia se pode socorrer…” E para a mesma entidade “a Hipnose faz parte do perfil de competências profissionais dos Psicólogos e dos atos que podem realizar enquanto Psicólogos”.

Portanto, você poderá recorrer à hipnose de forma segura. Poderá recorrer a esta abordagem para ter uma ajuda para as suas dificuldades, inquietudes, conflitos, perturbações…, seja o que for no domínio da psicologia, psicoterapia e psicopatologia… Se o fizer, irá entrar num estado de consciência diferente… Não será mais do que isso a hipnose… A hipnose tem a ver com um estado diferente de consciência…

A hipnose clínica leva a um estado de consciência permeável a sugestões

Poderá então perguntar você como é que a hipnose funciona… O que é afinal mesmo a hipnose… Enfim, há várias teorias explicativas da hipnose. Cada uma apresentando a sua definição.

Uma delas apresenta a hipnose como sendo um estado de consciência, não alterado, apenas diferente. Poderá perguntar se entrar em hipnose é igual a ficar a dormir… Não, não é, ou seja, não é vigília, não é sono, é, repetimos, um estado de consciência diferente. E esse estado está muito permeável a sugestões. Será essa a grande mais-valia da hipnose…

A hipnose clínica levar a pessoa a modificações comportamentais

A hipnose pode levar a pessoa a fazer modificações cognitivas. Sim e não só. Você poderá fazer alterações muito importantes na sua vida. E porquê? Vejamos, se seguir uma hipnoterapia poderá modificar crenças erróneas, sim, mas também alguns aspetos emocionais e comportamentais, sempre em seu benefício.

De facto, a pessoa poderá fazer o caminho do seu desenvolvimento e aperfeiçoamento pessoal. Poderá fazer mesmo grandes mudanças na sua personalidade, na sua vida… Para melhor, claro, de uma forma rápida, sempre em seu benefício próprio.

A hipnose não tem nada a ver com o sono

Já o dissemos, mas convém percebermos melhor… A palavra hipnose aparece, pela primeira vez, nos finais do século 19. Surge com o médico escocês James Braid. Na altura, achava-se que era um estado de consciência parecido com o sono. Foi por isso a palavra escolhida. Terá, portanto, ido buscar inspiração a Hypnos, o Deus grego do sono.

Mas, hoje, sabe-se que não tem nada a ver com o sono. Pelo contrário se você se submeter a um processo de hipnose, você estará bem consciente. O que estará é com uma focalização da sua atenção em determinados aspetos do seu interior.

A hipnose clínica é objeto de cada vez mais investigação científica

Sigmund Freud usou a hipnose na sua prática clínica – veio depois a abandoná-la e, mais tarde, ter-se-á arrependido. A partir daí a Hipnose foi sobretudo usada para fins de espetáculo. Este seu uso leva a que muitas pessoas não percebam o potencial da sua utilização para fins psicoterapêuticos. Os cientistas, muitas vezes, também se afastam, porque não se querem ver associados a uma prática mal vista por muitos dos seus pares – acham que parece ter contornos de farsa, de burla e manipulação.

Hoje em dia, porém, já há muitos médicos e psicólogos interessados pelo tema. E há cada vez mais investigação científica nesta área. E muitos resultados apontam, de facto, para a grande importância da Hipnose num processo psicoterapêutico, no qual se conseguem resultados deveras surpreendentes, atestados por evidência científica.

Hipnose Clínica em contextos psicoterapêuticos diversos

A Hipnose está, com efeito, a ser cada vez mais usada em diferentes áreas – por exemplo, em hospitais no controlo da dor. E muito se deve a um médico americano, Milton H. Erickson que, sendo psiquiatra, usou, a técnica da hipnose em contexto clínico psicoterapêutico. Falamos em técnica, porque há quem considere que a Hipnose não é, só por si, uma psicoterapia. Mas há também quem advogue que é mesmo um modelo psicoterapêutico.

Há, portanto, grande polémica sobre esta matéria. Mas será, sem dúvida, uma ferramenta, uma metodologia, que pode ser usada numa psicoterapia, com inegável eficácia quanto a resultados.

Você poderá, portanto, aceder a uma consulta de hipnose, mas com a certeza que será levada a cabo por um profissional qualificado. Sim, consideramos, que a hipnose deve ser usada, muito preferencialmente, por alguém com formação na área das Psicologias e Psicoterapias…

Organização Mundial de Saúde recomenda o uso

Hoje em dia, a Organização Mundial de Saúde-OMS recomenda, precisamente, o uso da hipnose. Recomenda-a como coadjuvante no tratamento de muitas doenças físicas e psicossomáticas. É, para além do mais, uma intervenção, muitas vezes de eleição, em determinadas anestesias e cirurgias.

O exercício da Hipnose em Portugal não está regulamentado. Portanto, pode ser utilizada por qualquer pessoa. O que não deixa de ser bizarro, porque para se exercer Psicologia é necessário uma formação superior e é necessário também estar-se inscrito na Ordem dos Psicólogos Portugueses. Já um Hipnotizador não precisa de quaisquer certificações para levar a cabo intervenções terapêuticas por conta própria.

Todas as pessoas têm perfil para serem hipnotizadas

Para quem é Psicólogo e já fez formação nesta área de uma forma essencialmente, e profundamente, vivenciada, Milton H. Erickson é uma referência obrigatória.

Esta figura usou a técnica da hipnose em contexto psicoterapêutico com muito sucesso. Usou-a numa abordagem diferente do habitual. Nesta abordagem, ao contrário de outras, considera-se que todas as pessoas têm perfil para serem hipnotizadas. Há apenas que desenhar uma psicoterapia à medida das suas características individuais.

A abordagem da hipnose clínica, segundo a escola de Milton, preconiza a utilização de uma linguagem mais permissiva, indireta, com recurso a metáforas, num estilo conversacional . Tem um nome: “Abordagem Naturalista”. Esta, realmente, postula que a cura surge por si mesma se se criar o ambiente  e o contexto psicológico para ela acontecer.

Marcar uma consulta de hipnose clínica?

Antes de mais, poderá querer saber o preço de uma hipnoterapia, é perfeitamente natural. Mas encare os preços como valores, como um investimento que faz em si. Depois, poderá analisar a possibilidade de usufruir de uma intervenção hipnoterapêutica individualizada.

É uma pessoa aberta a essa possibilidade? Permite-se confiar nos benefícios de uma “metodologia” da qual se retiram grandes ganhos em termos de desenvolvimento pessoal?

Nesse caso, permita-se confiar na PSICOVIAS que tem uma parceria estabelecida com a MINDFULL, na pessoa do seu fundador e diretor, Dr. Pedro Rodrigues Ribeiro. Para nós, provavelmente, o maior mestre da Hipnose Ericksoniana em Portugal.

A maneira mais fácil de nos contactar, para marcar uma consulta, é fazê-lo por WhatsApp.

O que lhe pode acontecer se seguir uma hipnoterapia… Veja aqui.