Procrastinação: um guia para a compreender

Como saber se sofre de procrastinação

Procrastinação ou superar o adiamento de tarefas? Você está a sentir frequentemente que adia tarefas ou responsabilidades? Isso pode ser um sinal de que você está a sofrer desta perturbação.

É, realmente, um comportamento que pode levar ao desperdício de tempo valioso. Se deseja superar essa dificuldade, é importante entender as causas e aprender estratégias eficazes para lidar com ela.

Qual é a razão para a procrastinação?

Talvez já se tenha perguntado: porque é que a procrastinação acontece? Ora, uma das razões é que o cérebro humano tende a buscar recompensas imediatas em vez de recompensas futuras. Isso significa que, em vez de fazer uma tarefa que pode ter uma recompensa mais tarde, é mais tentador descansar ou “preguiçar”.

Sim, mesmo que isso signifique adiar o trabalho para o futuro.

Procrastinação e ansiedade

Realmente, há trabalhos científicos que apontam para questões ansioegénicas. De facto, os estudos  dizem que não se trata exatamente de preguiça. Procrastinar relaciona-se, isso sim, com ansiedade e outras emoções negativas. E apontam, por exemplo, também para a existência de uma amígdala cerebral, a estrutura que se ocupa, nomeadamente, do medo, de maiores dimensões. E diz-se também que adiar trabalhos pode estar relacionado com um quadro clínico de  depressão, ou de uma perturbação obsessivo-compulsiva.

O que precisa de consciencializar na procrastinação

Compreenda: o que precisa mesmo é de aprender a lidar melhor com as suas emoções. Você muitas vezes o que tem é medo de falhar, de não corresponder às expetativas dos outros, da coisa não ir sair perfeita… Pois é, nesse caso, você precisa de aprender a fazer melhores planeamentos, de aprender a focar-se de modo a poder alcançar melhores resultados. E isso consegue-se a partir de uma aprendizagem  no que diz respeito à regulação das emoções, que permita saber também lidar com aquelas mais desagradáveis.

Modificar entendimentos

Há, pois, que perceber as emoções e também saber-se avaliar os pensamentos presentes no processo de procrastinação.  Avaliar para poder reformular, restruturar, ressignificar, reprocessar… Você pode modificar, sim, o modo como entende determinada situação.  Para tal, há que dar nomes, identificar… Podem ser crenças, emoções e também sensações corporais.

Há que mudar comportamentos

Às vezes a pessoa parece que gosta daquela adrenalina presente no ato de deixar as coisas para mais tarde. Outras vezes, o que está presente é puro hedonismo. Mas, frequentemente, verifica-se, repetimos, o medo, a ansiedade relativamente à possibilidade do trabalho sair dececionante. E vem aquela esperança que amanhã se estará mais bem preparado. Mas, realmente, ninguém muda assim de um dia para o outro, não é? Quer dizer, pode acontecer, mas há que mudar comportamentos. E para tal poderá ser mesmo consultar um psicólogo.

A autocompaixão e a autoaceitação para a combater

Sim, é fundamental reconhecer a imperfeição e sermos mais neutrais em relação às falhas. E é aqui que, por exemplo, a hipnose, exercícios de imagética, poderão ajudar a ultrapassar a procrastinação, e o perfeccionismo subjacente, trabalhando-se diferentes dimensões temporais: passado, presente e futuro. Trabalhando-se, pois, a autoaceitação e a não recriminação.

Aceite-se mais, perdoe-se, seja compassivo

De facto, os sentimentos negativos só atrapalham, podendo levar, inclusivamente, a comportamentos de autossabotagem e autodestruição. Fale, então, consigo, quando procrastina. Como se estivesse a falar com um seu bom amigo. Afinal de contas, há tanta a gente a procrastinar, não é verdade?

Não consegue parar a procrastinação? Há solução

Já tentou muita coisa, mas, por si só não está a conseguir… Então, que mal há em procurar uma ajuda? Se começa a pensar nesta possibilidade, já está no caminho certo, já está na posse de um recurso interno muito importante para se tratar e conseguir levar uma vida mais calma e mais serena e, surpreendentemente, mais produtiva e empreendedora. Dê, pois, o primeiro passo!

A procrastinação em resumo

  • A procrastinação é o ato de adiar ou prostergar tarefas ou responsabilidades.
  • Tem as suas origens no cérebro humano, que tende a buscar recompensas imediatas em vez de recompensas futuras.
  • Além disso, a procrastinação também pode estar relacionada com ansiedade, depressão, perturbação obsessivo-compulsiva e medo de falhar ou de não corresponder às expectativas dos outros.
  • Para lidar com a procrastinação, é importante aprender a gerir melhor as emoções e fazer planeamentos eficazes, além de identificar e avaliar os pensamentos e crenças que levam à procrastinação e mudar comportamentos negativos.
  • Também é importante procurar ajuda profissional, como terapia ou hipnoterapia, para trabalhar estas questões e aprenderem-se estratégias eficazes para superar a procrastinação.