Medo de aranhas, em resumo

Aracnofobia, uma fobia bastante comum

Há muitas fobias, como saberá. A aracnofobia, ou seja, o medo de aranhas é talvez a fobia mais antiga e a mais comum na cultura ocidental. Há estudos que apontam para percentagens na ordem dos 20 %, ou mesmo mais, se considerarmos o género feminino, no que diz respeito às pessoas sentirem medo, ou pelo menos desconforto na presença de aranhas.

A origem pode ser longínqua

Alguns estudiosos consideram que esta fobia tem origem nas consequências da evolução das espécies. Isto resultando da associação de aranhas a veneno, a infeções e a doenças e tudo isto a provocar reações de nojo, de repulsa, de aversão, de medo e até de pânico.

Os sintomas podem aparecer cedo e são diversos

De facto, os sintomas podem estar presentes na infância , na adolescência e manterem-se por toda a vida. Esteja-se ou não na presença de uma aranha – às vezes basta imaginar ou ouvir palavras relacionadas, os sintomas são diversos:

  • Coração a bater desalmadamente
  • Suores
  • Tonturas
  • Falta de ar
  • Dissociação
  • Medo intenso
  • Tremuras
  • Pânico
  • Enjoos
  • Vómitos
  • Dores de barriga

Afinal quais são as causas?

Poderão ser muitas: por vezes poderão ter origem num processo de imitação, ou seja, alguém pode ter aprendido tal medo depois ter visto alguém a senti-lo. As causas podem igualmente estar em desequilíbrios bioquímicos ao nível do cérebro, mas também estarem relacionadas com experiências adversas e traumáticas no passado, nomeadamente na infância.

Justifica-se um tratamento para a aracnofobia?

Muitas vezes esta fobia não atrapalha muito a vida de uma pessoa, mas, há casos em que é mesmo preciso ultrapassar esta dificuldade – por exemplo a necessidade laboral de se contactar com zonas onde as aranhas estão presentes.

Vale a pena? O tratamento resulta sempre?

Repetimos: a aracnofobia pode ser uma condição difícil de superar para algumas pessoas. O primeiro passo poderá ser explorar, de uma forma profunda, o que causa o medo de se ver uma aranha, de se ser picado ou de, “simplesmente”, se ser tocado por uma. Depois é preciso que a pessoa esteja mesmo motivada e empenhada no tratamento…  Mas há muitos casos de êxito, sim, com certeza!

Há estratégias que podem ajudar a lidar com o medo de aranhas?

Sim, há vários comportamentos que podem ser seguidos para você se sentir mais confortável na presença de uma aranha. Uma delas é expor-se gradualmente, de forma real ou imaginada, ao estímulo fóbico. Isso pode ser feito com técnicas diversas, tais como respiração profunda, meditação, relaxamento muscular progressivo ou mesmo auto-hipnose.  

A importância de se recorrer a um psicoterapeuta

Implementar os procedimentos atrás expostos pode não ser fácil para o próprio e é aqui que, muitas vezes, um psicoterapeuta é mesmo necessário para se ultrapassar, de forma efetiva, uma aracnofobia. Convém, pois, procurar um profissional especializado na matéria que possa fazer uso de técnicas e estratégias que recorram ao relaxamento mental e corporal, à hipnose, à meditação ou a outras abordagem psicoterapêuticas, como por exemplo, o EMDR.