Estou no estrangeiro, preciso de um psicólogo português!

Um psicólogo português porquê? A resposta é óbvia: por causa da língua! De facto, há aspetos da nossa vida mais íntima que só na nossa língua nativa é que os sabemos transmitir bem.

É de facto muito importante, para quem vive fora do país, que haja modos de receber apoio psicológico em português. Mas, para isso, é necessário, naturalmente, que haja psicólogos portugueses que disponibilizem serviços de psicologia à distância.

Ora, isso está a ser feito cada vez mais, nomeadamente para os nossos emigrantes. É claro que não quer dizer que não haja psicólogos no estrangeiro que os possam atender. Sim há, até, porventura, muito mais que em Portugal. E até, muitas vezes, não há custos para a pessoa, pois fazem parte do serviço nacional de saúde.  Só que, a maior parte das vezes, os portugueses preferem consultar um profissional que fale a sua própria língua.

Hoje basta usar o Skype para aceder a um psicólogo português

Ora, isso é possível ser feito. É, realmente, cada vez mais fácil nos tempos que correm. Porque, realmente, as plataformas tecnológicas de comunicação estão aí à disposição de toda a gente, de uma forma completamente gratuita. Na verdade, só é necessário possuir um computador e ligação à Internet. Ou então basta um smartphone, que nem precisa ser um topo de gama.

Portanto, não é necessário sequer que haja uma plataforma especial. Há alguns psicólogos que usam algumas menos conhecidas e que, nalguns casos, são pagas. Mas isso não nos parece ser, de modo nehum, necessário.

“A Psicovias está sediada em Lisboa – Portugal. Atende portugueses de todo o mundo via online.”

“Pode optar pela modalidade de atendimento psicológico à distância em Portugal ou no estrangeiro.”

“Marque consulta através do email info@psicovias.pt Pode também ligar para  +351 93 450 03 03″

De facto, há inúmeras plataformas completamente grátis e que funcionam na perfeição, com segurança e confidencialidade. Por exemplo o Skype. Ou seja, o que é preciso é que a qualidade do som seja boa. Que a imagem tenha uma boa resolução. Que não haja cortes. Que não haja interferências. O Skype funciona bem. Basta apenas que a velocidade da Internet seja boa.

Um psicólogo português online para falarmos a mesma língua

Portanto, hoje em dia, se estivermos a viver no estrangeiro e quisermos consultar um psicólogo português para desenvolvermos um processo psicoterapêutico isso é perfeitamente possível. Com a maior das facilidades! Podemos, pois, ser emigrantes, podemos ser estudantes, podemos andar a viajar pelo mundo, seja o que for, e ser possível recorrer a um psicólogo que fale a nossa língua materna.

De facto, a pessoa até podes falar bem o inglês, o francês, o alemão, mas um processo terapêutico com um psicólogo inglês, americano, francês, belga ou germânico, efetivamente, não é a mesma coisa. Há, sem dúvida, aspetos da nossa vida que só na nossa língua nativa é que os sabemos transmitir bem. Expressamos, naturalmente, as nossas ideias, mas também os nossos sentimentos e as nossas emoções, muito melhor se o fizermos na nossa língua portuguesa.

Falar na nossa própria língua traz, efetivamente, muitas vantagens e benefícios. A nossa expressão é mais completa e mais rica quando falamos com alguém que comunga da mesma cultura que a nossa.

A língua ajuda na empatia e não só…

Na verdade, muitas vezes, a empatia é isso mesmo, a inteligência emocional usa as subtilezas da linguagem que é própria a uma determinada cultura. Há pessoas portuguesas que estão no estrangeiro que têm habilitações académica elevadas. Há licenciados e até há doutorados. Há doutorandos e também há aqueles que estão a fazer pós-doutoramentos.

Há também portugueses como menos estudos. Provavelmente os mais velhos. E há, igualmente, jovens, mais letrados, que nasceram nesses países, mas que conservam uma grande ligação sociocultural e afetiva a Portugal. Podem ter níveis de estudo altos, mas os seus pais e avós são portugueses. Para esses, muitas vezes, o ideal também é escolherem um psicólogo português online para uma comunicação mais fácil, mais fluente e mais percetível.

Um psicólogo português online pode ser a escolha mais acertada 

Os problemas, as limitações, as dificuldades, as perturbações, os transtornos, podem ser de vários tipos e graus. Há, por exemplo, trabalhadores das mais variadas profissões que se possam sentir com solidão. Ou então com níveis de ansiedade elevados. Ou mesmo deprimidos.

Para todos esses, a ajuda de um psicólogo ou psicoterapeuta, em especial com a mesma cultura, pode ser muito importante. Porque, muitas vezes, há portugueses no estrangeiro que podem estar a sofrer de depressão, com problemáticas que, aprofundadamente, só se explicam bem na língua portuguesa.

Os emigrantes, em geral, e os nossos emigrantes portugueses não fogem à regra, são pessoas com determinadas caraterísticas comuns. São pessoas corajosas, com elevado espírito de aventura, com capacidades de trabalho muitas vezes acima da média.

Os emigrantes são resilientes, mas…

Os emigrantes, em geral, reagem bem a adversidades, são resilientes, mas não estão imunes, é claro, à tristeza, ao abatimento, à inquietude, ao temor, à ansiedade, ao medo… Têm vontade de aprender coisas novas, gostam de viajar, mas também têm saudades, também choram lágrimas… Têm ambição, sonhos, apetência pela descoberta, são sociáveis, têm alegria de viver, mas também têm saudades, também são assaltados por memórias nostálgicas, às vezes perturbadoras, inseguranças…

Os emigrantes deparam-se com muitas oportunidades boas, mas também, com situações muito desafiantes, com situações muito difíceis em vários contextos. Poderão ser dificuldades a nível pessoal, a nível de integração num grupo, mas também podem ser limitações a económico e financeiro. Muitas vezes são “apenas” problemas de ordem cultural. Porque muitas vezes não se consegue fazer mesmo uma adaptação ao país. São os aspetos culturais a chocarem com o seu estilo de vida, com os seus valores e princípios.

Por vezes, instala-se o sofrimento psicológico

Ora, instala-se, muitas vezes, o sofrimento em quem está emigrado. Em quem não pode voltar, de forma mais imediata, ao seu país.  Porque ainda tem que ficar para alcançar o objetivo inicialmente traçado. Muitas vezes de ordem financeira.

Porque se não fosse por isso, aquele emigrante voltaria imediatamente para Portugal, para o seu país de origem. Voltaria de bom grado, imediatamente, para a sua cultura, para os seus hábitos, para o seu conforto emocional.

Mas, nem sempre pode voltar de imediato. E, portanto, há que desenvolver estratégias que sejam as melhores. Porque se não adotarem as mais corretas, pode verificar-se o sofrimento. E esse sofrimento, com origem em dificuldades insuperáveis, pode levar a problemas sérios ao nível da saúde mental e mesmo à doença física.

Um psicólogo português que exerça a sua atividade em Portugal

É aqui que pode entrar a ajuda técnico-científica levada a cabo por um profissional, por um psicólogo ou por um psicoterapeuta. Um psicólogo português que pode mesmo estar a exercer a sua atividade em Portugal. Que pode, e até mesmo deva ser de nacionalidade portuguesa.

Um emigrante pode, pois, aliás como qualquer outra pessoa, estar a precisar de ajuda psicológica. E poderá beneficiar de muitas vantagens se recorrer a um psicólogo português. Há emigrantes trabalhadores da construção civil, em fábricas, emigrantes estudantes, emigrantes investigadores, professores, enfim nas mais variadas profissões. E com os mais variados níveis de qualificação escolar e profissional…. Mas todos poderão ter necessidade de recorrer a uma consulta psicológica à distância.

Porque ser emigrante é mesmo isso: um turbilhão de sentimento e emoções ambivalentes. É passar por vivências de “mixed feelings”, experiências que nem se percebe bem se são doces ou amargas.  Que às vezes até parecem ter os dois sabores. Às vezes são emoções que parecem boas, ligadas à nostalgia, a uma saudade calorosa, mas que mais aprofundadamente analisadas estão carregadas do sentimentos ligados à solidão, ao desalento e até a um vazio perante a vida.

Nem sempre é fácil a integração num país estrangeiro

Tanto pode acontecer com os mais novos como com os mais velhos. Tanto pode verificar-se com estudantes como com trabalhadores.  Podem ser jovens estudantes. Para muitos deles é, realmente, difícil a integração.

Podem ser homens ou mulheres que não conseguem fazer conhecimentos com os seu pares estrangeiros. Pode, de facto, haver o confronto com várias dificuldades no início da sua integração em determinado país. Porque há que, neste início, aprender o significado de novos aspetos da cultura, uma língua nova, diferentes hábitos… E nem sempre é fácil fazer uma adequada integração num país estrangeiro.

Na verdade, ser emigrante implica sacrifícios, implica estar em constantes desafios de superação, implica trabalhar com uma multiplicidade de emoções. E, muitas, vezes, de facto, é mesmo precisa uma ajuda!

Conhecemos bem o mundo dos nossos emigrantes

De facto, nem sempre existe a necessária flexibilidade para aceitar ou compreender a diferença, de uma forma autónoma, saudável e com responsabilidade. E tudo isso leva a dificuldades para, por exemplo, fazer amizades ou estabelecer outros vínculos afetivos. Porque se trata de países com uma cultura e modos de estar realmente diferentes daqueles que existem em Portugal.

Estamos, na Psicovias, aptos a ser o tal psicólogo português de que a pessoa emigrante precisa. Para ajudarmos a ultrapassar as mais variadas problemáticas. Realmente, conhecemos bem o mundo dos nossos emigrantes. Dispomos de tecnologia para o fazer. Temos largos anos de carreira profissional como psicólogos. E possuímos preparação científica para tal.

Consulte-nos. Informe-se na Picovias.

Saiba aqui como marcar uma consulta.

A Psicoterapia à Distância funciona mesmo?

Honorários

× Marque consulta por WhatsApp aqui!