FUI VÍTIMA DE TRAIÇÃO!


Para sermos traídos basta que confiemos. Realmente, a traição vem de quem não estamos à espera… Quando se fala neste tema, associamos muitas vezes à questão conjugal, mas pode acontecer nas mais variadas circunstâncias. É algo que pode arruinar uma relação. Podemos ser traídos pela nossa namorada, pela nossa esposa, mas também pelos nossos pais, pelos nossos filhos, pelos nossos amigos… E, quando somos traídos, as emoções invadem-nos, de uma forma muito negativa. Algumas dessas emoções são a deceção, a desilusão, a raiva, em relação a nós próprios e em relação a outras pessoas. “Como é possível eu ter confiado?!” “Como é possível terem-me feito uma coisa destas?!” E aparece também a auto-culpabilização: “Eu é que fui responsável!”

1. A traição vem de onde menos se espera

A maior parte das vezes, as pessoas traídas nunca suporiam que isso viesse a acontecer. Precisamente porque vem de onde menos se espera. A não ser que sejamos muito desconfiados, somos, geralmente, otimistas nas relações que estabelecemos. E tem que ser assim se quisermos ter relacionamentos ricos, variados. Temos que confiar, pois se não o fizermos nunca nos relacionaremos com os outros de uma forma positiva. Podemos optar pela solidão se não quisermos ser traídos, mas será que doem mais as traições, ou dói mais a solidão? Se optarmos pela solidão o sofrimento está certo, se optarmos pelos relacionamentos, a traição não está certa, não tem que, obrigatoriamente, acontecer – portanto, podemos pesar os dois pratos da balança e decidir…

2. Para que haja traição, basta haver confiança

Há muitas histórias sobre traição – por exemplo a do apóstolo Judas, e também a de Pedro, a Jesus Cristo. Há muitos estudos sobre o tema. Não há causas únicas, as motivações podem ser muito diferentes. Há diferentes tipos. Não existe apenas a infidelidade conjugal, também existe, por exemplo, a traição dos pais em relação aos filhos e vice-versa. E quanto maior for o laço e o vínculo afetivo mais a traição terá impacto, mais  leva ao sofrimento emocional. A de um pai, ou de uma mãe a um filho pode magoar para a vida inteira e ter uma influência determinante no desenvolvimento emocional de uma criança até à vida adulta.

3. Quem trai…, quem se sente traído…

Mas a perceção do ato de traição nem sempre é uma coisa inequívoca. Quem trai pode achar que não o está a fazer. Quem se sente traído, pode, muitas, vezes não ter a capacidade de compreender as explicações “de quem trai”. Este tema anda muitas vezes ligado com o perdão. São grandes temas que podem ser trabalhados em conjunto em contexto de ajuda psicológica e psicoterapia de apoio…

Marque consulta aqui

 

× Marque consulta por WhatsApp aqui!