Reduza Ansiedade com EMDR

Reduza ansiedade com EMDR - em que é que se baseia...

Reduza ansiedade com o EMDR. Esta proposição baseia-se na teoria de que a ansiedade é causada por memórias que não foram adequadamente processadas pelo nosso cérebro.

A abordagem psicoterapêutica teve o seu início em 1987. Neste ano, uma psicóloga americana, Francine Shapiro, descobriu uma forma de tratamento de traumas. É uma história simples: ela apercebeu-se que, ao mexer os olhos de um lado para o outro, alguns pensamentos negativos seus perdiam a força. Depois foi efetuada muita investigação científica, sendo que hoje a OPP, Ordem dos Psicólogos Portugueses, reconhece o alto valor desta psicoterapia.

 

Reduza ansiedade com EMDR, reprocessando lembranças

De facto, há lembranças, ligadas a vivências precoces, que permanecem armazenadas, ao nível cerebral, de uma forma disfuncional. E é esse mau armazenamento que vai gerar sintomas como a ansiedade. E também o medo, a angústia, a insegurança, a culpa, a vergonha, a baixa autoestima, etc.

A terapia EMDR utiliza, em particular, uma técnica chamada dessensibilização bilateral. Esta envolve a estimulação de ambos os lados do cérebro através de movimentos oculares, toques ou sons. Esta técnica ajuda, pois, a reprocessar memórias traumáticas. E isso vai permitir que elas sejam armazenadas de uma forma mais saudável nos dois hemisférios cerebrais - o direito mais ligado às emoções e sensações corporais, e o esquerdo mais ligado à razão.

É, pois, de uma forma básica, que podemos dizer que esse é o motivo dos sintomas de ansiedade começarem a diminuir. E, com a continuação do processo, gradualmente a extinguirem-se.

Reduza ansiedade com  EMDR - uma descoberta por acaso

Já o referimos, o EMDR foi descoberto, com efeito, ao acaso, no final dos anos 80, por Francine Shapiro. Esta psicóloga americana estava, com efeito, a sofrer de ansiedade por causa de uma doença grave. Ao fazer uma caminhada pela natureza, no final, ficou com a impressão de que estava menos ansiosa. De facto alguns pensamentos relacionados com a sua situação difícil já não a incomodavam tanto.

Ao refletir sobre o que aconteceu, concluiu que o que tinha ocorrido era que no trajeto ela tinha ido a olhar para um lado e para o outro para não pisar umas flores que estavam no caminho. E terá sido esse facto que levou à redução da sua ansiedade.

Pensamentos negativos passam a julgamentos positivos

Francine Shapiro confirmou, de facto, que os seus pensamentos negativos tinham passado a mais positivos. A partir daí, experimentou, em auto EMDR, fazendo movimentos oculares enquanto pensava em outras coisas difíceis. E, de facto, verificou que a sua ansiedade reduzia substancialmente. Depois experimentou também com familiares e amigos e verificou que resultava.

Ou seja, as perturbações ansioegénicas diminuíam, de facto, de intensidade. Parecia, pois, estar-se diante de uma terapia promissora, mais breve e mais eficaz  - significativamente mais do que muitas outras abordagens psicoterapêuticas.

Procedimentos para que você reduza ansiedade com EMDR

Decida seguir o tratamento. Saiba antecipadamente que os terapeutas EMDR vão utilizar uma série de procedimentos que envolvem:

- Avaliação

do seu histórico clínico e identificação de eventuais acontecimentos traumáticos ou perturbadores que podem estar relacionados com a sua ansiedade.

- Preparação

para o trabalho terapêutico, ensinando-lhe técnicas de relaxamento e autocontrolo emocional.

- Dessensibilização

das suas memórias traumáticas ou perturbadoras, por meio da estimulação bilateral do seu cérebro com movimentos oculares, sons ou toques, enquanto você se concentra em imagens, pensamentos, emoções e sensações corporais ligadas a determinados eventos da sua vida.

- Instalação

de crenças positivas sobre si mesmo e sobre eventuais eventos traumáticos ou perturbadores, substituindo as suas crenças negativas que lhe geram ansiedade.

- Verificação

do grau de processamento das referidas memórias e da redução dos sintomas associados à sua ansiedade.

- Reavaliação

dos resultados que você obteve e reforço das suas mudanças positivas.

Escolha, no entanto, um terapeuta EMDR devidamente creditado pela sua associação oficial.

O que poderá fazer mais para que reduza ansiedade com EMDR

Antes de mais, tenha uma mente aberta. Acredite que o seu subconsciente precisa de ser acedido.  O EMDR é, realmente, uma técnica que vai ao fundo da consciência.  E apresenta, assim, de facto, diversos benefícios para os pacientes que sofrem de ansiedade.

Saiba que os mais importantes benefícios são:

- Redução ou eliminação

dos sintomas de ansiedade, como medo, pânico, nervosismo excessivo, taquicardia, sudorese, tremores, etc.

- Aumento

da autoestima, da confiança e da segurança pessoal.

- Melhoria

do humor, da qualidade de vida e do bem-estar emocional.

- Resolução

de conflitos internos e externos relacionados a eventos potencialmente  traumáticos ou perturbadores.

- Prevenção

de recaídas ou de novos episódios de ansiedade.

Terapia EMDR na modalidade presencial e Online

A terapia EMDR tem, de facto, sido aplicado com muito sucesso em diversos casos de ansiedade. E tanto tem êxito na forma presencial como quando é levada a cabona modalidade de terapia EMDR online.

E é importante ter também em conta que, para além da redução da ansiedade, é adequada para atuar em outros quadros clínicos, associados, por exemplo, a fobias, ao pânico, a obsessões e compulsões, entre outra psicopatologias.

O EMDR é uma técnica segura para tratar a ansiedade

Sim, segura e eficaz, desde que seja aplicada por um profissional qualificado e experiente. Se sofre de ansiedade e quer conhecer mais sobre o EMDR, procure um psicólogo especializado nessa abordagem e agende uma consulta. Poderá, mesmo antes, consultar alguns testemunhos de quem fez EMDR.

Para que haja toda a segurança, numa primeira consulta, o seu psicólogo vai avaliar a sua situação.  Vai explicar-lhe como o EMDR ajuda a aliviar a sua ansiedade. Vai depois usar um método que utiliza a estimulação bilateral dos hemisférios cerebrais. E isso para ajudar o cérebro a reprocessar memórias que podem estar na origem da sua ansiedade.

Reduza ansiedade com EMDR, não hesite

Já sabe então: se está a sofrer de ansiedade, não hesite em procurar ajuda. O EMDR pode ser, de facto, a solução que você procura para viver uma vida mais tranquila e feliz.

É, no entanto, importante lembrar que cada pessoa é única e que o tratamento com EMDR pode variar de acordo com as necessidades individuais. Realmente, cada pessoa é única e o que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra. É, pois, importante trabalhar com um profissional de saúde mental para encontrar o melhor plano de tratamento para as suas necessidades individuais.

E lembre-se: procurar ajuda é um sinal de força, não de fraqueza. Se você ou alguém que você conhece está a lutar com a ansiedade, não hesite em procurar ajuda. Você não está sozinho e há recursos disponíveis para ajudar.

O objetivo final do EMDR é curar traumas?

Talvez se interrogue porque vê muitas vezes escrita a frase: "Cure traumas com EMDR". De facto, muitas vezes o objetivo final da terapia EMDR é ajudar as pessoas a lidarem com os seus traumas. Esta terapia visa, realmente, reprocessar memórias traumáticas, permitindo que a pessoa as veja sob uma nova perspetiva e tenha, assim, consequentemente, uma vida mais feliz, com menos ansiedade. .

Através do EMDR, o paciente é, realmente, capaz de aceder e processar essas memórias traumáticas, o que pode resultar numa diminuição significativa dos sintomas de ansiedade. E, muitas vezes, o objetivo final é que o paciente seja capaz de recordar o evento traumático sem a intensidade emocional anteriormente associada.

A terapia EMDR apenas trabalha com o passado da pessoa?

Não, convém, de facto, notar que o EMDR não trabalha só com o passado da pessoa. Realmente, ajuda não só a aliviar os sintomas do presente, mas também fortalece as habilidades de enfrentamento do paciente para futuros desafios. O objetivo final é, pois, que o paciente se sinta mais seguro, confiante e capaz de lidar com situações futuras que antes poderiam desencadear ansiedade.

Em suma, o EMDR trabalha as vertentes do passado, presente e futuro. E o objetivo final é promover a cura e o crescimento pessoal, permitindo que os indivíduos superem as suas dificuldades psicológicas e que levem a uma vida mais plena e gratificante.

Os resultados do EMDR podem variar

Sim, de facto, a terapia EMDR (Eye Movement Desensitization and Reprocessing), ou Dessensibilização e Reprocessamento por meio dos Movimentos Oculares, é uma abordagem relativamente nova. É até um tratamento que é mais conhecido pelo seu uso na perturbação de Stress pós-traumático (PSPT). Mas, como já referimos, as últimas pesquisas científicas mostram que o EMDR pode tratar muitas outras condições psicológicas.

No entanto, é importante lembrar mais uma vez: cada pessoa é única e, portanto, os resultados do EMDR podem variar. A eficácia da terapia EMDR pode depender de vários fatores: a natureza e a extensão do trauma, a idade do indivíduo no momento do trauma e o apoio disponível para o indivíduo após o trauma. Além disso, a relação terapêutica entre o terapeuta e o paciente também desempenham um papel crucial na eficácia da terapia.

Os estudos clínicos apontam: reduza ansiedade com EMDR

Sim, mas não só. De facto, alguns estudos clínicos mostraram que o EMDR é tão eficaz quanto a terapia cognitivo-comportamental (TCC) no tratamento dos sintomas do transtorno do pânico e outras perturbações adjacentes. No entanto, isso não significa necessariamente que todos os indivíduos com problemas de pânico respondam da mesma maneira ao EMDR. Alguns podem achar a TCC mais útil, enquanto outros podem responder melhor ao EMDR.

Outros estudos apontam o tratamento EMDR para depressão como excelente, mas isso não significa que todos os indivíduos com depressão se deem bem com esta terapia. A resposta ao tratamento pode, realmente, variar dependendo da gravidade da depressão e da presença de outros problemas de saúde mental mais individuais.

Realmente, cada pessoa é única. Portanto, o que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra. E por isso é que é sempre importante trabalhar com um profissional de saúde mental qualificado e mais experimentado para determinar o melhor curso de tratamento.

EMDR funciona para todas as dificuldades psicológicas?

Não, de facto. Na verdade, o que referimos atrás é que cada pessoa é única. Que o que funciona para uma pessoa pode não funcionar para outra. Mas podemos afirmar, sim, que a terapia EMDR funciona mesmo. O que podemos acrescentar é que ainda não se sabe muito bem o mecanismo do seu funcionamento.

Desde essa data muita investigação tem sido feita para explicar o seu funcionamento e uma explicação sobre como o EMDR funciona é que este ajuda os dois lados do cérebro a comunicarem um com o outro - o lado esquerdo, que se especializa em lógica e razão, e o lado direito, que se especializa em emoção.

No entanto, os especialistas ainda não sabem exatamente como o EMDR funciona. As investigações em andamento apontam que é uma forma complexa de terapia e provavelmente tem muitos mecanismos de ação.

Mas se nos perguntar a terapia EMDR funciona?  A resposta é esta: sim, funciona muito bem numa grande maioria de casos que aparecem no nosso consultório, sim!...

O EMDR trabalha com a atenção dual

No EMDR fala-se, realmente, em atenção dual. Ou seja, falar-se na questão do EMDR trabalhar não só o passado como também o presente. Procura, pois, que a pessoa consiga ter uma atenção ao passado e ao presente. Procura-se que esteja com um pé no passado e um outro no presente.

Aprofundando: a ideia é que se lembre das coisas difíceis que aconteceram no passado, mas fazendo uma ligação ao presente, percebendo que está em segurança no momento presente; que a pessoa perceba que pode levar uma vida normal, que pode desfrutar o presente, que pode até usar as coisas más do passado em seu benefício, vendo que, afinal, fazem parte integrante da sua biografia.